22 de ago de 2010

A sétima arte

Caros leitores, vocês já devem ter ouvido alguém se referir ao cinema como sendo a "sétima arte". Sabem de onde veio o termo? Segue a explicação:

'O termo sétima arte para designar o cinema foi dado por Ricciotto Canudo no Manifesto das Sete Artes, em 1911 (publicado apenas em 1923). Essa referência é apenas indicativa, cada uma das artes é caracterizada pelos elementos básicos que formatam sua linguagem e classificadas da seguinte forma:

  • 1ª Arte - Música (som);
  • 2ª Arte - Dança/Coreografia (movimento);
  • 3ª Arte - Pintura (cor);
  • 4ª Arte - Escultura (volume);
  • 5ª Arte - Teatro (representação);
  • 6ª Arte - Literatura (palavra);
  • 7ª Arte - Cinema (integra os elementos das artes anteriores mais a 8ª e no cinema de animação a 9ª).

Há uma certa dúvida se a ordem colocada estaria correta, porém um maior número de pessoas concorda com a ordem encontrada, apenas criando uma grande dúvida na posição do teatro e da literatura.

Outras formas expressivas também consideradas artes foram posteriormente adicionadas ao manifesto:

* 8ª Arte - Fotografia (imagem);
* 9ª Arte - Banda desenhada (cor, palavra, imagem);
* 10ª Arte - Jogos de Computador e de Vídeo (alguns jogos integram elementos de todas as artes anteriores somando a 11ª, porém, no mínimo, integra as 1ª, 3ª, 4ª, 6ª, 9ª artes somadas a 11ª desde a Terceira Geração dos Videogames);
* 11ª Arte - Arte digital (integra artes gráficas computorizadas 2D, 3D e programação).'

Fonte: Wikipédia

Abraços!

8 de ago de 2010

Bom-dia ou bom dia?

Em uma postagem anterior, falei sobre o uso do hífen em bom dia e reproduzi a opinião da professora Dad Squarisi a respeito. Algumas pessoas comentaram comigo que era esquisito escrever daquele jeito, com tracinho. Para ser sincera, eu mesma não estava muito convencida e resolvi pesquisar mais sobre o assunto.

Encontrei uma explicação bastante interessante do Prof. Cláudio Moreno. Segundo ele, a saudação será sempre escrita sem hífen. Por exemplo: “Senhores, bom dia!” Da mesma forma, dizemos “Boa viagem!” e “Bom almoço!”. No entanto, quando o termo aparecer como substantivo, o hífen deverá ser usado. Alguns exemplos ajudam a entender:

“Deu um bom-dia e saiu em seguida.”
“Já estava cansada daqueles bons-dias cheios de segundas intenções.”

O Prof. Moreno dá outro exemplo, boa tarde, que mostra a diferença da concordância de gênero:

“Tenha uma boa tarde.” (locução/sem hífen)
“Deixo aos ouvintes o meu boa-tarde.” (substantivo composto/com hífen)

Caros leitores, essa abordagem do Prof. Cláudio Moreno me parece pertinente. Se alguém tiver outras informações ou quiser dar algum pitaco sobre o assunto, seu comentário será bem-vindo. Todos sabem o quanto a nossa língua portuguesa é rica de possibilidades e polêmicas podem surgir. Por isso estamos aqui, para pesquisar e aprender.

É como diz João Guimarães Rosa: “O homem nasceu para aprender, aprender tanto quanto a vida lhe permita.”

Então, boa tarde!